terça-feira, 5 de junho de 2012

Miopia, mediocridade e modestia


Talvez aos olhos de alguns eu possa ser irritante, irreverente, inteligente, intolerante, ingênuo, irascivo, idiota, injusto, impetuoso, ilhado, inefável, instigante, interessante, imprudente, intranquilo, incongruente, implicante, inócuo, incapaz, isto ou aquilo...mas aos meus olhos eu sou apenas eu. 
Sou alguém consciente de minhas limitações e de minhas habilidades, de minhas qualidades e de meus defeitos. 
Sou alguém que quer morrer cedo, sossegado e tranquilo...em paz por ter sido muitas coisas, menos hipócrita, conformado e passivo.
Afinal eu tenho que conviver comigo mesmo por 24hs, diariamente, todo santo dia, 365 dias por ano e, acredite, isso é penoso demais para se contrariar a própria natureza com o fito de satisfazer os outros. 
E para continuar com os "i"s, talvez a forma como eu vejo o mundo ao meu redor e o que eu sinto diante da palermice que me cerca, bem como o sentimento que me afeta diante de determinadas demandas alheias seja, de fato, idiossincrático demais para explicar.
Claro que se paga um preço alto por ser quem se é, sobretudo quando a miopia alheia impera, a mediocridade do meio prospera e a sua própria modestia é rara. 
Se de um lado é verdade que: "Nossos maiores inimigos somos nós mesmos"(FRIEDRICH NIETZSCHE)
De outro também é verdade que: "Querer a verdade é confessar-se incapaz de a criar" e que "Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos." ( FRIEDRICH NIETZSCHE ).
Talvez por aquilo eu pare de escrever este blog....e também será por isso que eu passe a escrever outro, dessa vez mais reservado.

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Ministros Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes: sobre Lula e sobre tráfico de influência




No dia 28/05/2012 a edição eletrônica de Valor Econômico trouxe a pauta a opinião do Ministro Marco Aurélio Mello sobre a história de pressão que Lula teria feito sobre o Ministro Gilmar Mendes e que ora transecrevo parcialmente:

"Valor - Há uma tentativa de pressionar o Supremo?
Marco Aurélio Mello - Se ocorreu realmente como colocado, nós temos a revelação da quadra vivenciada. É o abandono a um respeito maior às instituições. Todos nós estamos perplexos com o fato. Não me refiro à colocação do presidente Lula de que não seria conveniente o julgamento, mas a uma pressão explícita ou implícita, no que se aludiu à blindagem [do ministro Gilmar Mendes na CPI]. O ministro Gilmar Mendes não precisa de blindagem nenhuma. Até aqui, é um homem acima de qualquer suspeita."

No mesmo dia, em entrevista à FOLHA, respondeu o seguinte:

"FOLHA – Como o sr. avalia esse encontro do ministro Gilmar Mendes com o ex-presidente Lula e o pedido de adiar o julgamento?
MARCO AURÉLIO MELLO - Está tudo errado. É o tipo de acontecimento que não se coaduna com a liturgia do Supremo Tribunal Federal, nem de um ex-presidente da República ou de um ex-presidente do tribunal, caso o Nelson Jobim tenha de fato participado disso. 

Ontem, porém, dia 30 o que ele disse????  Afirmou que mesmo se forem verdade os fatos narrados pelo também Ministro Gilmar Mendes, não há nada de mal  é ”legítimo” e “normal” que o ex-presidente Lula manifeste opinião sobre a data que considera mais conveniente para o julgamento do mensalão. Justificou que é aceitável porque Lula não não é jurista e porque ele é do PT, e que ele não tratou do mérito do processo. Disse também que o encontro deveria ter ocorrido no STF, e não no escritório de Nelson Jobim, ex-ministro do STF. E mais: noticiou ele que causou estranheza a demora do Ministro em trazer a público a novela em questão.


Agora eu estou louco ou há incongruência manifesta nos pronunciamentos acima?

Dr. Márcio Thomaz Bastos: Uma reflexão sobre os corruptos e seus diabólicos advogados

Recentemente recebi um e.mail assinado por um pretenso advogado que exibia fervorosamente seu rancor, seu desprezo pelo trabalho do Dr. Márcio Thomaz Bastos, ex-ministro da justiça e emérito jurista e professor.

O motivo todo mundo já sabe: seu desserviço a sociedade ao advogar para Carlinhos Cachoeira.

Dificilmente um advogado seria autor das bobagens que li, mas a julgar pelas outras asneiras ditas por um Procurador em sua representação contra o dignissimo jurista, até dá para ficar na dúvida.

Um advogado consciente de sua posição como profissional não diria as asneiras que vi no e.mail por diversas razões que vão desde o respeito a ampla defesa e ao contraditório, passando pelos princípios constitucionais que asseguram o direito ao silêncio sobretudo naquilo que fizer prova contra si mesmo e asseguram que um sujeito somente será considerado culpado  após condenado por sentença com trânsito em julgado, chegando finalmente ao princípio de que o mister da Advocacia é um dos 03 pilares da Justiça em conjunto com o realizado pelo Ministério Público e pela Magistratura.

Mas mesmo para um leigo a carta aberta é tosca e mirim, atenta contra qualquer idéia de Estado de Direito e Democracia, além de incorrer em erros básicos de lógica.

Segundo a lógica do autor do e.mail deveríamos fazer o seguinte: cartas abertas aos nocivos advogados que defendem os indiscutivelmente perniciosos bancos que com seus juros exorbitantes destroem a possibilidade do país crescer de forma sustentável e que recebem de braços abertos o dinheiro dos corruptos e dos bandidos. Aliás os bancos são grandes financiadores desse bando de políticos sujos.

Cartas abertas às empreiteiras de obras públicas envolvidas em maracutais, bem como a todos os seus funcionários e advogados porque cada um, ainda que em níveis distintos, se beneficia da corrupção direta ou indiretamente na medida em que são remunerados com o dinheiro sujo e por seu labor, ainda que lícito e legítimo, mantém a estrutura da corrupção funcionando.

Cartas abertas aos advogados e dirigentes das indústrias do álcool e do tabaco que com suas drogas lícitas promovem mais mortes que qualquer guerra até hoje já promoveu e são defendidos e administrados pelos primeiros.

Cartas abertas a todo e qualquer comerciante que ganhe a vida vendendo esses produtos que vão gerar a desgraça alheia.

Cartas abertas a todos os que estão envolvidos direta ou indiretamente nas empresas que vendem agrotóxicos e que poluem as águas, o solo e o ar...

Cartas abertas aos advogados que defendem as Igrejas em geral, bem como ao seus fiéis, afinal a Igreja Universal do Reino de Deus, Bispos da Igreja Renascer em Cristo, Igreja Católica e seus representantes, por exemplo, com suas tantas denúncias de corrupção, de lavagem de dinheiro, de abuso contra fiéis e contra menores são verdadeiros parias sociais que merecem ser execrados juntamente com seus fiéis que fomentam e dão suporte a essa grande bandalheira.

Acima de tudo, vamos fazer cartas abertas aos médicos privados que atendem a esses bandidos e corruptos, porque aonde é que já se viu manter-se vivas pessoas dessa laia? Facilmente se poderia deixar de atendê-los sobretudo para deixar de receber seu dinheiro que é desonestamente ganho. Aliás nem médicos públicos poderiam atender nenhum desses pilantras porque estariam gastando dinheiro público com quem já está em poder de muito dinheiro público desviado ou desonestamente auferido.

Mais do que isso: cartas abertas a qualquer um que atenda esses pilantras! Comerciantes em geral, prestadores de serviços de qualquer natureza, locadores de imóveis, estacionamento, pilotos de seus jatos e helicópteros, detentores de suas contas de e.mail, seus professores e de seus filhos, nenhum de nós jamais poderia prestar serviços a alguém tão nocivo e corrupto que nos pagará com seu dinheiro sujo.

Não podemos esquecer de fazermos cartas abertas ao Poder Judiciário na pessoa dos magistrados e mnistros que absolvem todo esse povo das acusações que lhes pesam ou permitem que sigam em suas atividades lesivas porque encontram respaldo legal para tanto.

Fazemos não somente fazer cartas abertas a quem julga e interpreta as leis mas a quem as faz: nossos legisladores, esses mesmos políticos corrputos sobre os quais tanto tratamos e que deixam os espaços na legislação que os diabólicos advogados legitimamente usam em prol de seus clientes.

Finalmente: cartas abertas a qualquer um que atender aos dependentes de todo e qualquer pessoa acuada de pratica de alguma ilicitude, sobretudo dos corruptos (ativos e passivos) e dos bandidos!

Mulheres e filhos, pais e mães, nenhum ser que deles dependa e que, pela lógica, se beneficie desse dinheiro poderia ser atendido por advogados, médicos, corretores de saúde e de imóveis, padeiros, confeiteiros, empregados domésticos e por aí vai. Afinal, essas pessoas são solidárias e cúmplices com essa gente corrupta na medida em que se beneficiam do dinheiro sujo...

Lógica fácil de entender, não é mesmo? Para um país em que mesmo gente culta se faz de ignorante, em que mesmo quem não necessita é corrupto, em que pouca gente ou ninguém respeita as leis, fica fácil achar na figura do advogado um responsável pelo descaso da população com o próprio país. Se é para ferir direitos individuais e a democracia, por que então as pessoas não saem às ruas depredando os políticos corruptos ou tirando-lhes a vida como na Revolução Francesa? A resposta é porque  cada um de nós conhece alguém que sonega impostos; que dirige com habilitação vencida, suspensa ou cassada; que tem algum estabelecimento não regular; que exerce alguma atividade sem os alvarás respectivos; que paga propina a políticos, policiais ou fiscais; que constrói sem pagar INSS; que emprega sem respeitar as leis laborais; que tem TV a cabo sem pagar assinatura; que ultrapassa a velocidade permitida ou que passa farol vermelho ou que bebe e sai dirigindo ou que fala inverdades sobre a pessoa alheia e por aí vai….o resto do raciocínio eu nem preciso mais escrever.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

A causa GLBT e o indivíduo

Eu faço parte daquele grupo que apóia a conquista e o respeito aos direitos civis de homossexuais. 

Não se trata de eu ser um simpatizante de qualquer gênero. 

Se trata de simples coerência social e jurídica: se ninguém pode ser vítima de preconceito por seu sexo e sua condição, se é um dever do Estado tratar de extirpar as desigualdades sociais e promover a justiça, ora, então é preciso reconhecer que então cidadão, qualquer pessoa - independetemente de sua orientação sexual - deve ser respeitado.

Uma vez que vivemos num estado democrático de direito, numa situação em que o governo é exercido pelo povo e para o povo e todo cidadão é parte do povo, não se pode atribuir a essas pessoas deveres e negar-lhes direitos.

Quem quer casar e ser feliz, indepententemente de sua condição sexual, deve ser respeitado e franqueado o casamento seja ele hetero ou homo.

Deve ser punida severamente a violência contra pessoas de orientações sexuais diversas da dominante.

Deve ser ensinado o respeito nas escolas, nos lares e nos ambientes político-sociais, assim como é pregado o respeito à liberdade religiosa, de associação, de trabalho e etc.

Pois bem, disse tudo isso porque hoje vi uma notícia que me chamou a atenção: Léo Aquila é um desses tipos que fazem fama em programas de TV explorando sua própria figura que se propõe caricata, subversiva e, ao mesmo tempo, engajada com a causa GLBT.

Ele nasceu do sexo masculino mas revela-se homossexual.

Não é, contudo, um gay com aparência masculina como Leão Lobo, nem é um crossdresser como o Laerte, ou um simples Drag Queen como a Izabelita dos Patins!

Ele é um transexual! 

Não fez vaginoplastia como a Ariadna mas exibe implantes de silicone nos seios, transplante capilar e feminilização do rosto, adição de gordura nas nadegas, lipoaspiração e usa voz feminina.

Seria de se esperar que ele, então, se apresentasse como mulher ou, minimamente, adotasse um nome social feminino como fazem os travestis.

No caso do Léo. ao que consta, ele faz questão de ser identificado pelo gênero masculino, com seu codinome masculino e assim se apresentou, como um ser híbrido menino/menina, naquele programa A FAZENDA gerando polêmica entre os representantes da causa GLBT.

Mais curioso é que ele se refere a si mesmo no feminino: "casada", "dolorida" e assim vai.

Dizem que ele enfraquece a causa GLBT. Sei lá...desde que compreendi que cada pessoa tem sua orientação sexual e de que as pessoas são muuuuuiiiittttooooo complicadas, aprendi também que causa nenhuma pode interferir na condição do indivíduo, sob pena de tiranizá-lo com rótulos contra os quais se luta, sob pena de cercear a liberdade que tanto se reivindica nessas "causas".

Se ele quer ser identificado como homem ou como um menino/menina ou como transgênero ou como marciano o propblema é dele.

Se transformar o seu corpo masculino para uma estética mais feminina, o problema é de quem? Dele e somente dele. 

Causa nenhuma está acima disso.

O problema vai ser usar o banheiro público....Laerte que o diga.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Amar não é...

Enquanto lê o texto, preste atenção na letra da música

 


Sentir aquela dor no peito toda vez que nota seu (sua) ex-parceiro(a) se virando muito bem sem você com o subsequente reconhecimento íntimo de que você não é imprescindível na vida dele(a).
Isso é orgulho ferido.

Sentir-se desolado(a) porque agora que você a(o) perdeu não consegue exercer sobre ela(e) o mesmo poder e influência que exercia antes.
Isso é vaidade.

A vontade de reatar a relação porque percebeu que sua vida de solteiro(a) não te traz tanta satisfação quanto você imaginava.
Isso é frustração.

Sentir-se impelido a voltar com seu(ua) ex porque ele(a) está sofrendo e lhe prometeu mudar de comportamento e tentar ser feliz de novo ao seu lado.
Isso é dó.

Acreditar que a reação de arrependimento do(a) ex que, diante da sua altivez e de sua segurança, sentiu-se diminuído (a) e fragilizado (a) com a própria iniciativa da separação, é demonstração de carinho e de humildade.
Isso é ingenuidade.

Aceitar voltar ao casamento pelo bem dos filhos.
Isso é desculpa.

Sentir aquele aperto na garganta quando se dá conta de que sua (seu) ex está com outro (a) e feliz.
Isso é ego ferido.

Querer voltar com ele(a) porque VOCÊ quer ser feliz.
Isso é egocentrismo.

Sentir que quer voltar com ela(e) porque ainda sente ciúmes.
Isso é possessividade.

Sentir que deve de reatar com seu (sua) ex porque você conhece melhor a ele (a) que aos (às) outros (as) com quem saiu depois da separação, sente-se mais confortável com ele(a) que com esses outros (as) e sabe que ele(a) conhece muito mais você e seus gostos que os(as) outros(as).
Isso é um misto de medo e comodismo.

Sentir que deve reatar porque ela(e) mudou muto depois da separação e agora lhe parece melhor do que antes.
Isso é o efeito do distanciamento.

Querer voltar com ele(a) por acreditar que sua insatisfação foi chave para o insucesso da relação.
Isso é insegurança

Sentir apreço e consideração pela(o) ex.
Isso é amizade.

Sentir-se impelido(a) a sacrificar a própria felicidade e liberdade para tentar novamente só porque você não consegue romper com suas próprias fragilidades e limitações.
Isso é tolice.

Querer fazer sexo com ele(a) porque ninguém que você conheceu é tão bom assim.
Isso é libido.

Sentir saudade dos tempos em que dormiam abraçados.
Isso é carência.

Acreditar que ele(a) é ímpar, que embora ele não te fizesse feliz antes agora será o único capaz disso.
Isso imaturidade.

Acreditar que deve voltar à relação porque sente que não fez o(a) parceira feliz antes e pode fazê-lo agora.
Isso é culpa.

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Porque outros países deveriam deixar de se meter nas questões ecológicas brasileiras

Reportagem da Folha publicado no UOL de hoje:  http://www1.folha.uol.com.br/ambiente/1091068-com-participacao-de-astronauta-relatorio-mostra-que-pegada-do-brasil-supera-a-da-china-e-a-da-india.shtml

 Com participação de astronauta, relatório mostra que 'pegada' do Brasil supera a da China e a da Índia


A pegada ecológica do Brasil é maior que a média mundial e maior que a de todos os países do grupo Brics exceto a Rússia (o grupo inclui China, Índia e África do Sul). 

Os dados são do Relatório Planeta Vivo 2012, divulgado pela ONG WWF com a participação do astronauta holandês André Kuipers.

Divulgação/Nasa
O astronauta andré Kuipers, que participou, no espaço, da apresentação do relatório
O astronauta andré Kuipers, que participou, no espaço, da apresentação do relatório
Pegada ecológica é a quantidade de hectares necessária para suprir as necessidades de consumo de cada ser humano versus a capacidade de regeneração da Terra.
O relatório mostra que a pegada da humanidade hoje excedeu em 50% a capacidade de regeneração do planeta. Ou seja, para sustentar o padrão de consumo atual, seria necessário 1,5 planeta.
A pegada ecológica da humanidade dobrou desde 1966. Entre os países com maior pegada estão nações emergentes e de território pequeno, como Qatar (1°) e Dinamarca (4°), além dos gigantes consumistas EUA (5°).
O Brasil tem uma pegada ecológica de 2,93 hectares por pessoa, contra 2,70 da média global. Segundo Cecília Wey de Brito, secretária-geral do WWF Brasil, o que mais pesa aqui é a agropecuária, que consome muita terra e água.
A pegada cresceu ligeiramente em 2012 em comparação a 2010 e só não é maior porque o Brasil detém a maior biocapacidade (capacidade de regeneração) do mundo, por conta de suas florestas.
"O Código Florestal é um dos garantidores de que isso continue", disse Brito, pedindo o veto de Dilma ao código aprovado pela Câmara.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

E porque é sexta-feira



Aí que vontade de estar na praia...

Política x Bunda

Há tempos que estou me reconhecendo um chato.

Levemente intolerante e crítico além da média, por vezes me pego em sistuações bem delicadas: seja quando me analiso, seja quando analiso os outros.

Uma situação cada vez mais frequente que tenho que enfrentar é a incoerência tupiniquim.

As pessoas são incoerentes desde que mundo é mundo. Têm preguiça de pensar e medo de o uso razão o retire de sua zona de conforto.

Mas, antes, ao me deparar com isso o efeito era o de me levar à reflexão. Timidamente esboçava tratar de meus pensamentos em público e quando sentia a reserva dos ouvintes desistia de falar.

Hoje em dia não!

Por vezes não consigo me conter e exponho essa incoerência alheia sem maiores pudores o que, como se pode imaginar, me torna um antipático ou um besta aos olhos dos outros que confrontados com a própria imbecilidade parecem preferir acreditar que o errado é quem os enxerga.

E quando o assunto é política, então? Aí fudeu...

Eu preciso fazer um exercício de concentração muito grande para não mandar os cegos a merda.

Para se ter uma idéia do que estou falando, é graças aos grandes pensadores da "elite" paulistana que hoje temos como pré-candidatos os seguintes zumbis:
a) José Serra
b) Celso Russomano
c) Netinho
d) Soninha
e) Gabriel Chalita

É nessa ordem a aceitação do eleitorado. Agora, imaginem só se Celso Russomano se unir ao Netinho? Vitória na certa. E, nesse caso, terei que pensar seriamente em mudar de Cidade, Estado ou até mesmo de País.

Por que estamos assim? 

Vozes se levantam, sempre que faço publicamente essa pergunta, que o problema é da educação do "povo", da massa, do populacho.

Sei...mas e as idiotices que falam aqueles que, como eu, têm nível sócio cultural mais elevado que a média nacional? E as pessoas bem nascidas com as quais tenho contato, que tiveram acesso a boas escolas e cultura?

Não sou rico, nasci num berço bem humilde e prosperei graças a muito esforço mas sequer estou numa situação que considero confortável financeiramente. Afinal não estou livre de preocupações financeiras que não acometem outros amigos.

Entretanto acredito pertencer a uma elite. Elite no sentido de ter tido acesso a uma educação boa que me permite pensar e olhar a vida e as coisas da vida com olhos críticos que meus pares parecem não ter.

O fato é que, em verdade, a incoerência e a retórica vazia de reflexão e de praxe é parte da cultura desse meu país.

Afinal brasileiro é incoerente até mesmo quando o assunto é BUNDA.

Vivemos num país em que as mulheres se vestem de forma recatada se considerado o que se vê no verão europeu ou em Miami. Nossos BBB's são infinitamente mais recatados do que os europeus que não mostram só bundas e peitos mas chegam a ter sexo explícito.

Em compensação, nas praias brasileiras as mulheres mostram a bunda à vontade enquanto ninguém faz topless porque causa escândalo, não obstante os eventos carnavalescos, os funks e as "noites das xoxotas loucas" do interior do país mostrem mulheres nuas em pleno ambiente público e, por vezes, "familiar".

Bunda é assunto que leva todo mundo a debater acaloradamente. Seja porque a bunda da fulana é gostosa, seja porque a cicrana mostrou a bunda sem calcinha sei lá onde, seja porque a beltrana bunduda raspou o cabelo....

E gente que mostrou a bunda para ganhar a vida subitamente se torna casta como a Vera Fischer, Xuxa, Regininha Poltergeist e a Mirian Rios, sendo que todos nós vemos isso, aceitamos isso e as erigimos a patamares sociais mais altos enquanto execramos homossexuais por sua condição de vida e por sua opção pelo casamento.

Dá para entender???? Maior incoerência impossível.

Um país cheio de absurdos políticos e jurídicos, uma cidade mergulhada em caos e a galera se preocupa com o que se passa no BBB, no Pânico na TV e nas demais idiotíces televisionadas pelo país a fora não pode ter em sua bandeira "ordem e progresso" como lema.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Por um mundo melhor

Hoje o UOL noticiou que a cearense Luma Andrade será a primeira travesti do Brasil a apresentar uma tese de doutorado, segundo informa a ABGLT (Associação Brasileiras de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros). Graduada em ciências naturais pela Uece (Universidade Estadual do Ceará) e com mestrado na área do desenvolvimento do meio ambiente pela Uern (Universidade Federal do Rio Grande), agora, aos 35 anos, ela é doutoranda em educação pela UFC (Universidade Federal do Ceará).

Para obter o título de doutora, ela se inspirou na própria realidade e produziu um estudo baseado no acesso das travestis (homossexuais que se vestem como mulheres) cearenses à educação. “Pude constatar que está havendo um aumento do acesso e também da procura pela escola, mas ainda há resistências como a discriminação, bullyng e a marginalização”, afirmou ela.

Resistência, aliás, é uma palavra ou até mesmo um sentimento muito conhecido por Luma. “Desde os oito anos de idade que convivo com isso. Já cheguei a apanhar na escola e ouvir da professora que era bem feito”, contou.

Mesmo assim, ela disse que focou a atenção para os estudos e usou sua aptidão para as ciências exatas como uma aliada na conquista de amigos e de respeito dos colegas. “Eu sabia matemática e fiz com que isso me ajudasse. Passei a dar aulas para os colegas e eles passaram a ser meus amigos”, disse.

Em casa ela usou a mesma estratégia de focar a atenção para os estudos, na hora de responder os questionamentos dos pais, dois agricultores analfabetos que não a discriminavam, mas sempre perguntavam por uma namorada, principalmente no período da adolescência.

Já adulta, chegou a ir, nos primeiros dias, para o campus da Universidade Federal do Ceará, no município de Limoeiro do Norte, onde concluiu a graduação, vestida com roupas masculinas para evitar situações de preconceito e constrangimento, mas a estratégia não deu certo. No primeiro dia de aula, ela conta que foi uma chacota geral, mas, depois que resolveu usar roupas femininas, as pessoas a conheceram melhor e ela começou a ser aceita. “De início foi uma decepção, pois achava que na universidade as pessoas eram mais maduras”, disse.

Depois de formada, Luma recebeu o convite de um ex-professor da faculdade para dar aula em uma escola, mas o que parecia ser uma grande oportunidade, na verdade foi um grande teste.

“Era terrível, os dirigentes e outros professores ficavam atrás das portas assistindo à minha aula. Os alunos também ficavam rindo e muitos gritavam: gay, viado (sic), dentre outros palavrões. No fundo, eles achavam que a minha aula (de ciências naturais) ia ser uma palhaçada, mas sempre no primeiro dia, eu contava a minha história de vida e ganhava fãs e aliados. Eles também são pobres, nordestinos e sonham com dias melhores. “Além disso, sempre mantive postura, seriedade para lecionar, o que foi fundamental para adquirir o respeito de alunos e colegas”, completa.

Essa realidade chama a atenção para a diferença entre teoria e prática cristã: num país em que a maior parte das pessoas se diz cristã, seria de imaginar que a tolerância fosse a regra! 

Mas tolerância e cristianismo ou, quem sabe, tolerância e religião não combinam.

Cristãos se baseiam na bíblia para seguir sua vida e deveriam ter na figura e nas atitudes de Jesus os guias para serem melhores pessoas.

Não jogar a primeira pedra e deixar o julgamento da conduta alheia para deus, respeitar o próximo e a lei dos homens, premissas biblicas bem claras, parece que são posturas desconhecidas quando o assunto é tolerância.

Fico feliz porque alguns travestis conseguem romper com o perverso ciclo queos leva  à prostituição. Isso serve de exmplo para todos nós que buscamos um grupo social mais livre e solidário.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Netinho e o pedágio urbano



Notem que nesse vídeo o grande político diz só o que há de ruim para se falar dele é o episódio da agressão à ex mulher e se não falassem disso não haveria mais nada a se falar senão falar bem...

Claro que ele esquece do escândalo de má gestão do dinheiro público no episódio do aluguel de seus computadores, impressoras e telão que custou muuuiiiitooo mais do que a compra de equipamentos supra sumo. Claro que ele se esquece do episódio de agressão ao Vesgo. Se esquece de que se declarou pobre para ter isenção de custas. O Netinho, pobre???? Como assim????  E os verdadeiros pobres???? Esse cara é mais um legítimo representante daquilo que devemos afastar da política.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Recado de uma mulher para um homem!


Parceria Publico Privada que funciona

O crime organizado criou um novo bico para os PMs de São Paulo: o de consultores de risco de ladrões. Nessa função, policiais fazem o papel de olheiros de quadrilhas especializadas em arrastões em condomínios e roubos de caixas eletrônicos. Usam o acesso aos equipamentos de rádio da PM para avisar os bandidos, por celular, quando algum policial fora do esquema se aproxima do prédio ou do banco durante a ação dos criminosos.

Neste ano, duas investigações já flagraram a participação de três policiais militares acusados de dar cobertura a ladrões durante os assaltos, mas existe a suspeita de que outros também estejam envolvidos. No ano passado, 20 PMs foram detidos por colaborar com quadrilhas que furtavam caixas eletrônicos - apenas dez continuam presos.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Post mortem

Dá para ter uma idéia de  para onde estamos seguindo com a tecnologia do entretenimento????

O rapper abaixo está mortinho da silva há tempos e agora, vejam só, anda por aí fazendo shows...

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Em terra de FIAT quem tem um HYUNDAI é rei

Há mais de 20 anos ocorria uma grande transformação na área automobilística.

Empresas japonesas introduziam no mercado ocidental conceitos de construção, segurança, tecnologia e design que mudaram a cara dos carros no mundo todo.

Até os carros alemães e ingleses que sempre foram sinônimo de qualidade passaram a valorizar mais o design e a tecnologia passando, inclusive, a oferecer mais conforto.



O Brasil, que só tinha carroças, abriu seu mercado para os carros importados nos anos 90, época da revolução imposta pelas industrias automobilísticas japonesas, e recebeu todo o lixo que o mercado internacional tinha disponível: desde LADAs até Citröens pavorosos...

Mas também se beneficiou desse avanço e hoje quem tem dinheiro no bolso pode comprar carros mais elegantes e mais sofisticados em todos os níveis.

E quem não tem? Continua a usar as velhas carroças...

Nesses mais de 20 anos muito coisa por aqui evoluiu, menos os carros nacionais.

Ainda são carroças, ainda são líderes de venda a FIAT e a VOLKSWAGEN com sua gama ridícula de veículos bons disponíveis para o consumidor brasileiro que paga caro por eles.





Há pouco tempo vemos nova revolução no mercado automobilístico vinda do oriente. Dessa vez a Coréia faz as vezes de campeã: novamente assistimos uma onda de inovação emplacada pela Hyundai e pela Kia.

Seus carros tornam-se em todo o mundo sinônimo de beleza, tecnologia, inovação e confiabilidade.

A expressividade dessas marcas é tão grande que chegaram a mudar o panorama de carros top de gama como Audi, BMW e Mercedes (basta ver a inovação inspirada nessas marcas coreanas que essas marcas alemãs passarão a integrar em seus carros de base nas linhas 2013)

Aqui no Brasil jamais vimos isso nos carros nacionais e os coreanos, importados, chegam a pereços muito competitivos.

Alguém que leia este texto poderá dizer que a assistência técnica das coreanas deixa a desejar...mas a pergunta é: e qual não deixa????

sábado, 14 de abril de 2012

"A fé não é uma doença. Mas por outro lado é transmissível e mata muita gente..."

"Você fala com deus: Você é religioso! Mas se ele fala com você, você é psicótico?"



"O comportamento religioso está tão próximo da insanidade que não dá para diferenciá-los!"



O autor das frases e do título é o grande guru e fislósofo "Gregory House".

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Dia do Beijo

BEIJO

Boca fechada não entra mosquito
Então feche sua boca na minha
Feche e beije bonito
Uma língua com outra em harmonia
Na busca de mim em você
Não há coisa melhor de se ter
Então feche sua boca na minha
Feche os seus olhos também
Os lábios em plena oração
Com os corpos dizemos amém!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Evite o infeliz e o azarado

É prazeiroso estar ao lado de pessoas bem humoradas, de bom astral e com quencaram a vida com coragem e realismo. Gente assim influencia nosso estado de espírito e, não raramente, nos contagia nos impulsonionado no sentido do sucesso e nos auxiliando a suplantar obstáculos.

Quando eu treinava para correr, notei que nas competições de corrida os corredores influenciavam uns aos outros de modo que ao estar próximo a uma pessoa veloz o corredor se sentia influenciado a correr mais também.

E se essas situações ocorrem positivamente é fácil imaginar que também ocorram no sentido oposto!

"A miséria alheia pode matar você – estados emocionais são tão contagiosos quanto as doenças. Você pode achar que está ajudando o homem que se afoga, mas só está precipitando o seu próprio desastre. Os infelizes às vezes provocam a própria infelicidade; vão provocar a sua também. Associe-se aos felizes e afortunados." (Greene, R. The 48 Laws of Power)
 
Todo mundo deve conhecer um tipo de gente que nos faz lembrar aquela simpática hiena dos desenhos infantis dos anos 70, a Hard Har Har.


Esse personagem foi criado, obviamente, pela inspiração desse tipo de pessoa pra baixo, sempre negativa, medrosa, insegura e infeliz para quem acontece toda sorte de desastres, ruínas e mazelas. Sempre reclamando da vida mesmo quando tudo está bem. E sempre, sobreturo, covarde.

É um tipo de personalidade contagiante no sentido negativo.

Se desconfiar que está na presença de uma pessoa assim, não discuta, não tente ajudar, não passe a pessoa adiante para seus amigos ou você cairá na teia. Apenas fuja ou atrairá as conseqüências das quais provavelmente você já deve ter provado. 

Diferentemente dos infelizes derrubados por revézes da vida, desses que fogem ao poder de controle e que podem merecer toda a nossa ajuda e simpatia, esse tipo de gente ao qual me refiro atrai a infelicidade e a desventura com seus atos destrutivos e o efeito perturbador que exercem sobre os outros. 

Quando nos deparamos com isso é comum nos esforçamos por tentar chamar esse tipo de gente de volta à vida, na vã esperança de que possamos ajudá-las a mudar seus padrões mas, infelizmente, o que é comum ocorrer é que os padrões mórbidos dessa turma de infelizes culminam por nos afetar.

E por que? Simples de explicar: os seres humanos são extremamente suscetíveis a humores, emoções e até maneiras de pensar daqueles com quem se relacionam.

Ocorre que esse tipo de gente é irremediavelmente infeliz e instável sendo seu costume se apresentar como vítima, o que torna difícil ver logo de início que é ela mesma a origem desse sofrimento e até que se perceba a verdadeira natureza dos seus problemas,  sujeito de bom coração que se envolve com ela já está contaminado, perturbado, influenciado e extenuado.

É esse o ponto que interessa tratar!

Há um aspecto do bem viver que deve ser compreendido: as pessoas com quem nos associamos e convivemos são importantíssimas para nosso êxito ou nosso fracasso para as coisas da vida. 

Quando nos associamos a contaminadores e sanguessugas desperdiçamos tempo e energia preciosos com os problemas insolúveis destes e mais tempo e energia para se livrar dos efeitos nocivos que eles nos causam. E, pior, uma vez que as pessoas associam nossa imagem aos daqueles com quem nos relacionamos fica fácil imaginar que aquele que se vincula ao sofredor também será um aos olhos dos outros que, por seu turno, tendem a se afastar de nós.

As pessoas contagiantes nem sempre são facilmente reconhecíveis. Mas existem fatores que facilitam a identificação.
Gente desse tipo tem um padrão de comportamento que lhe traz reincidentes situações de infelicidade : ou que fazem recair sobre si ou sobre os demais com quem se relaciona.
São, em geral, portadoras de histórias de um passado turbulento (próximo ou distante), pela extensa fileira de relacionamentos rompidos, por suas carreiras instáveis e pela própria força de uma personalidade que se apodera de nós e nos faz perder o juízo.
Esteja alerta a estes sinais do contaminador; aprenda a olhar o descontente no olho. E, o mais importante, não tenha dó porque esse tipo de infeliz não vai mudar mas vai atrapalhar você e roubar parte de seu precioso tempo.

Regra igual serve quando for se apaixonar por alguém!

Cidadania se faz assim: com atitudes!

Diariamente eu vejo pessoas cobrando do Estado posturas para garantir-lhes os direitos feridos. Vejo ciclistas, motoristas e pedestres cobrando mais segurança nas ruas, por exemplo!

Mas o Estado é, nada mais, nada menos, que o reflexo de cada cidadão. Se um país ou uma comunidade é omissa, o resultado será um Estado omisso.

Temos que meter a mão na massa....abaixo segue um exemplo claro disso:

terça-feira, 10 de abril de 2012

Prostituição legalizada

Hoje o UOL trouxe uma notícia interessante: "a Comissão do Senado de reforma do Código Penal quer o fim de punições para donos de prostíbulos."

E por que? Finalmente acordaram para o fato de que a medida punitiva só serve para policiais corruptos extorquirem donos dessas casas. 

A informação é da reportagem de Rogério Pagnan publicada na edição desta terça-feira da Folha

Uma vez que não seja proibido a ninguém explorar seu próprio corpo para fins econômicos, essa mudança tornaria possível trazer mais segurança e mais respeito às profissionais do sexo na medida em que abriria caminho para a regulamentação dessa profissão e para a quebra de tabus e procinceitos.

Seria um avanço poder estabelecer vínculos trabalhistas entre o funcionário de um prostíbulo e o empregador, como já ocorre em países como Alemanha e Holanda permitindo agregar aos cofres públicos dinheiro que hoje permeia a corrupção.

Claro que isso traz outras reflexões sobre as implicações sociais, sobretudo no interior do país onde há exploração sexual, inclusive de menores, em casas de prostituição.

Mas o fato é que essas casas de diversão sexual existem de forma escancarada em qualquer canto por onde se passe de forma que é um contrasenso não estarem regulamentadas.

Um sinal de avanço social num país com tantas contradições.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Incompletude inata

Todos nascemos escravos
Somos escravos de nossa incompletude
Nascemos escravos de nossas necessidades
Porque necessidade é premência inata
É carência farta
Que nunca se satisfaz
Todos trazemos lacunas no corpo e no espírito
Esse sentimento de vazio
Velho conhecido de todos os homens
O qual demanda a reparação
Buscada na paternidade, na ciência e na religião
Essa fonte eterna de infelicidade
De angústia e de consternação
Essa incompletude inata
Nos motiva, nos dá vida
Mas também nos mata
Sem hesitação


segunda-feira, 2 de abril de 2012

segunda-feira, 26 de março de 2012

Aberração

Encerra-me por dentro
Enclausure meu corpo
Torne-me um detento
Faça-me um morto

Se isso te faz feliz
Se isso te satisfaz
Se isso te glorifica
Se assim se sente capaz

Mas nada muda o fato
De que és aquilo que sabes
Uma aberração imbecil
Que anda portando um sabre

Criatura bestial
Pestilento e pobre bastardo
De ínfima estatura moral
Imundo reprentante do Estado

Sua pena foi lançada
No dia de seu nascimento
A certeza de que no fundo és nada
É seu impiedoso sofrimento

Beleza



Não imagino um mundo sem beleza
A beleza é promessade vida
É a esperança de alegria
Ela é como a luz que ilumina a escuridão
Acalenta nosso espírito
Aquece o coração
Mas não se engane
A beleza também é traiçoeira
Onde há luz também há sombra
E luz demais cega
Tal como uma armadilha
A beleza seduz e atrai
E não raramente te agarra, te prende e te traí
Assim é tudo na vida
A moda da moeda
Tudo tem dois lados

terça-feira, 20 de março de 2012

Esperando o amanhã chegar

Parece que esse dia não passa
Repleto de deja vu 
Um dia sem encanto
Um dia sem graça
Como num museu de fatos
No qual cenas se repetem uma após outra
Ou quem sabe num eterno feitiço do tempo
Com repetecos imediatos
Cansei desses problemas corriqueiros
Cansei das trivialidades
Nada de bom acontece
E ainda que algo ruim houvesse
Ele seria um bom companheiro
Enfadonho, cansativo, estorvante
Assim é o dia de hoje
Por isso espero o amanhã chegar
Sentado em minha cadeira
Olho pela janela
Esperando o amanhã me salvar



Porrada

sexta-feira, 16 de março de 2012

Dia Nacional da poesia - 14/03

Eu queria ser poeta
Saber tocar um coração
Com caneta papel e tinta
Ou passando de um ouvido ao outro
Suscitar reflexão

As palavras do poeta
Nos libertam dos sentidos
Se sonha sem ter alças
Mesmo estático se viaja
Dão liberdade aos oprimidos

Quem me dera ter esse dom
Arte escrita é coisa rara
Não está no intelecto
Não se aprende em nenhum livro
Vem do espírtito do cara

quinta-feira, 15 de março de 2012

Desacato à autoridade, Crime contra a honra ou um absurdo sem fim?


É de se imaginar que um juiz de direito saiba sobre "DIREITO" e não fale algum absurdo relacionado a sua profissão. Aliás, isso é de se esprar de qualquer outro profissional de qualquer outra atividade.

Mas errar e ser corrigido não poderia ser, de forma alguma, um problema.

Se um advogado diz que um determinado instituto jurídico não existe ou se ele milita contra conhecimentos básicos de sua profissão é comum ouvir de juízes e promotores que esse advogado deva voltar a estudar.

E se não é desrespeitoso dizer isso para um advogado, por que o inverso o seria?

Considero que de um lado ou de outro, dizer isso de modo nu e cru é deselegante. Mas virou rotina ver deselegâncias e desrespeitos nos tribunais promovidos por autoridades e representantes do Estado contra as partes e seus defensores. Logo, se não se é tão crítico contra estes porque ser crítico contra os advogados?

Claro que, ademais, não é crime ser deselegante, sobremaneira quando o erro corrigido for manifesto e a observação for pertinente.

Menos ainda se o advogado agiu no exercício de sua atividade profissional. Afinal assim preceitua a lei: "O advogado tem imunidade profissional, não constituindo injúria, difamação ou desacato puníveis qualquer manifestação de sua parte, no exercício de sua atividade, em juízo ou fora dele, sem prejuízo das sanções disciplinares perante a OAB, pelos excessos que cometer."

Me refiro ao que vem sendo ventilado quanto a um caso recente ocorrido em São Paulo: uma juíza presidente de um tribunal de juri negou a uma advogada a oportunidade de reinquirir uma testemunha e essa advogada asseverou que seu pedido atendia a um princípio jurídico conhecido, qual seja: o da "verdade real".

Há quem discuta esse princípio, há quem defenda a existência dele ou a extirpação do mesmo do rol de princípios jurídicos. Mas que ele é objeto de estudo acadêmico e recebe exatamente essa designação, isso é incontroverso. O Santo Google que o diga...

O que ocorreu, segundo consta, é que a juíza em questão seguiu negando o direito da parte sob a afirmação de que esse princípio jurídico invocado (o da busca pela verdade real) pela nobre patrona do réu não existe ou se existe não recebe esse nome jurídico!

Como é que é????

Ouvir isso de uma juiza presidente de um plenário de juri causa espanto... 

Se dizer isso não é demonstrar ignorância eu já não saberia mais o que é. 

Vai um advogado qualquer falar uma bobagem dessas para ver se não será vítima de chacota ali mesmo na frente de seu cliente? Aliás, não são muitos os juízes e promotores que deixariam de dizer para esse advogado que ele deveria voltar a estudar. Há até os que não perderiam a chance de oficiar à OAB para ver esse "ignorante" longe das raias dos tribunais.

Pois bem, a douta julgadora sentiu-se ofendida em sua honra quanto à forma como a advogada a corrigiu. A doutora promotora acredita ter havido desacato à autoridade. E agora faz-se um lindo circo ao redor do ocorrido.

Ocorre que esses profissionais deveriam deixar sua vaidade de lado e parar de procurar chifre em cabeça de cavalo porque a polícia e o Poder Judiciário têm coisas de fato importantes para cuidar ao invés de perder tempo e dinheiro com vaidades feridas.

Afinal, crime algum se cometeu.

Não bastasse a imunidade constitucional e infraconstitucional acima referida, há ainda exceção clara  na lei quanto à injúria praticada por advogado no exercício de sua profissão, o Código Penal assim prevê:
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:

Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

§ 1º - O juiz pode deixar de aplicar a pena:
I - quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;
...
Art. 142 - Não constituem injúria ou difamação punível:
I - a ofensa irrogada em juízo, na discussão da causa, pela parte ou por seu procurador.

E não é diferente com o desacato à autoridade (art. 331, do Código Penal).

Só constitui crime de desacato quando materializada a ofensa, a agressão e o desprestigio a funcionário público (como o são todos os juízes) sempre atendido ao princípio legal e constitucional de que o advogado tem imunidade profissional para os atos de seu ofício.

Agora vejamos: mesmo que o advogado não estivesse protegido por sua imunidade aplicável a ambos os tipos penais, estaria ele a cometer alguma ofensa, algum desprestígio ou algo assim quando indica o estudo como fonte de informação a alguém que demonstra clara e indiscutível ignorância sobre algo? Oras, não é assim que nos instruímos sobre qualquer coisa? Estudando?

Transexuais x Dignidade

quarta-feira, 14 de março de 2012

Valores conturbados

"A unanimidade é burra", disse Nelson Rodrigues.


Dia desses eu assisti perplexo ao circo que se formou ao redor do crime ocorrido em Santo André, no qual um garoto, sem antecedentes criminais, foi acusado de fazer sua namorada e amiga de reféns por dias e, diante da total inépcia da polícia, acabar por matar a menina e ferir sua amiga. Me refiro ao caso de Lindemberg Alves, cuja condenação foi de 98 anos de reclusão.

Sem entrar no mérito da questão e sem mitigar o mal que esse rapaz propagou, é fato que estamos diante de um crime passional que jamais teria se concretizado caso a polícia tivesse o mínimo de perícia na condução da questão, agido concreta e eficazmente como se vê em outros países desenvolvidos.

Foi um crime que merecia resposta ao grupo social e à família sem perder de vistas que se o intento do acusado era mesmo o de matar ele o teria feito muito antes e, quem sabe, longe dos olhos de testemunhas, como o fazem os homicidas em crimes premeditados.

Não obstante, os meios de comunicação transmitiram à exaustão todo o julgamento do rapaz. As ruas e o fórum de Santo André ficaram totalmente lotados de gente que não tinha o que fazer, supostamente comovidos pela questão e que lutavam por sangue.

A unanimidade queria o linchamento moral do motoboy e de sua advogada...e a obteve com uma sentença indiscutivelmente desproporcional.

Dias depois ocorreu quase em silêncio o julgamento de outro crime! Comoção? Nenhuma. Rigor, nenhum. Ampla cobertura dos meios de comunicação? Zero.

Ademir Oliveira Rosário, conhecido como Maníaco da Cantareira, foi condenado nesta última terça-feira a 57 anos de prisão por homicídios qualificados e estupros contra os irmãos Francisco e Josenildo José de Olveira, respectivamente 14 e 13 anos de idade, assassinados a facadas em setembro de 2007, na Serra da Cantareira, em São Paulo

As vítimas desapareceram em setembro de 2007, na Serra da Cantareira, na capital paulista, após avisarem a mãe que iriam colher frutas em uma chácara na região. Os corpos foram encontrados três dias depois, a uma distância de 100 m um do outro. Os meninos estavam nus e tinham marcas de perfurações provocadas por objeto cortante.

A polícia localizou os corpos após três garotos denunciarem que, no mesmo dia do desaparecimento dos irmãos, um homem que fingiu estar armado ordenou que o trio o acompanhasse na mata. Os meninos disseram que o homem tentou amarrá-los em árvores, mas conseguiram fugir quando perceberam que ele não portava arma.

Um dia depois, um suspeito foi preso. Ademir Oliveira Rosário, então com 36 anos, era morador da região e cumpria pena em regime semiaberto por homicídio e atentado violento ao pudor. Ele teve permissão para deixar o presídio na sexta-feira, véspera do crime, e voltar na segunda-feira - e o fez. 

Na época, a polícia informou que ele confessou os homicídios.

Estamos nitidamente diante de uma sociedade doente, desproporcionalmente vingativa e cega, na qual a opinião pública relega um crime bárbaro e cruel e se apega a outro passional. Na qual um sujeito reincidente em práticas contra a vida e contra a moral ataca deliberadamente contra a vida e contra a sexualidade de dois adolescentes e recebe menos pena do que outro que agiu sob o efeito de seu desequilibrio emocional. Devemos rever nossos conceitos urgentemente porque estamos num país em que os valores estão de cabeça para baixo.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Azulíssimo

Azul claro
Azul caribe
Azul pecado
Azul menina
Azul bebê
Azul calcinha
Azul lacinho
Azul fusquinha
Azulíssimo

Homenagem ao dia Internacional das Mulheres

Dálias, Rosas, Margaridas
Nem todas são flores
Algumas Matildes e outras Dolores
Mães dedicadas
Sinceras amigas
Esposas prendadas
Mulheres da vida
Ou aposentadas
Cada qual tem uma sina
Cada qual uma história
Valentes parceiras
De vidas sofridas 
Ou cheias de glória
A elas eu brindo
Em alto e bom som
Por noites tranquilas
Por dias serenos
Por paz nas famílias
Por um amor pleno

quarta-feira, 7 de março de 2012

Ponto Final

A fraqueza me abate
Um cansaço perene tomou conta de mim
Me reconheço maduro
Porque noto a velhice que se aproxima
Sem trégua e sem pausa
Como um cavaleiro do apocalipse
Pronto para sua ceifa letal
Ahhh o passado 
Cada vez mais longe
Está suficientemente distante 
Para causar saudade
Eu a tudo observo
Mas nada faço
Pois no fundo temo a verdade
Essa cruel revelação
Que jaz no espelho refletindo o olhar
Repleto de perplexidade
E de crua constatação
A vida não passa por nós 
Nós é que passamos por ela
Como passageiros num trem
Podemos observar a paisagem
Enquando viajamos alucinadamente
Ao sabor da locomotiva
Se movendo em alta velocidade
Ou podemos descer a cada estação
E sem pressar apreciar o momento
Tornando-se parte da paisagem
E eu novamente o que fiz
Viajei sem sair do vagão
Olhando pela janela
Na mais perfeita inação
E não há como voltar no tempo
Porque meu destino se aproxima
Se aproxima o ponto final


Antropofagos da vontade

 

Menina que buscas aí
Meninos que queres com isso
Assim não se pode fazer
Você tem que prestar compromisso
Não corte o cabelo assim
Essa cor não cai bem em você
Seu corpo é um templo divino
Essa atitude é muito ruim
Por aqui não se usa tatoo
Brinco não é pra menino
Tantas regras
Velhas censuras
Tantas farpas
Muitas firulas
Ninguem quer ver você livre
Canibais de sua espontaneidade
Escolha entre ser um zumbi
Ou manter sua identidade

Contra a coisificação das mulheres









mas a favor da mulherização das coisas...rsrsrs

Quarta-feira inicio do fim







...da semana. Lets have fun!

segunda-feira, 5 de março de 2012

Palavra abrasiva

A palavra mal colocada
Fere, quebra e magoa
Retira o brilho dos bons atos
Macula qualquer relação

A palavra mal colocada
Irrefletida ou deliberada
Desgasta, desbasta e desata
Abala qualquer coração

A palavra mal colocada
Corrói como ácido na pele
Exaspera os sentimentos
Aparta os amantes
Antipatiza os irmãos

quinta-feira, 1 de março de 2012

Ossobuco

Quantas vezes é preciso dizer
Que isso não é pra morder
Lamber e chupar é gostoso
Mastigar o que faz é doer


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Despido

Venha que estou despido
Despido de orgulho
Despido de humor
Despido de audácia
Despido de fervor

Venha que despido te espero
Não tenho mais sonhos
Nem mais esperanças
Me despi da vaidade
Não espero a bonança

Agora assim preparado
Venha que aqui te aguardo
Deitado no frio chão do quarto
Espero a foice da morte
Para a acabar com o teatro

Porco chauvinista

Dizer que uma mulher deu
Não faz jus ao seu ato
Mulher não dá nem empresta
Ela vai cobrar do incauto

Branca fruta

Disseram-me que o sabor do seu sumo é doce
E que este escorre abundante
Quando se tem o privilégio de abrir sua cabaça
Assim protegido dos olhos curiosos
Juntamente com sua castanha
Uma vez devassado
O prodigioso pomo brindar-nos-a os sentidos
Assim é que sua calda orvalar de rico aroma
Viscosa e inebriante
Alcança os dedos e os umedece
Assim como aos lábios de quem o prova e aprova
De dará agua na boca e coceira na língua...

Bandidos e baderneiros

A apuração das escolas vencedoras do desfile das escolas de samba do grupo especial de São Paulo foi uma vergonha.

As escolas envolvidas deveriam ser banidas de uma vez por todas do carnaval paulistano! Serviriam de exemplo para as demais que congregam baderneiros ao invés de foliões.

Aliás, a Gaviões da Fiel ainda permanece desfilando sabe-se-lá o porque...
E o tal Thiago Ciro Tadeu Faria???? Muito macho!!! Agora chora que está arrependido.

Ou seja, um grande palhaço que deveria ter recebido um corretivo do Estado há mais tempo. Não parece estar arrependido de nada até ser preso. Esse é o tipo de cara que eu torço para ficar mais tempo preso e virar moça na cadeia.

E toma dinheiro público para financiar baderneiros...